Logo Fert Embryo
  • Icone Telefone Fert Embryo18 3222-1800
  • 18 98127-6834
  • 18 98135-4780
  • Home >
  • Blog >
  • História da Fertilização In Vitro (FIV)

História da Fertilização In Vitro (FIV)

04/08/2020 Fonte: Assessoria de Imprensa - Fert-Embryo

A Reprodução Humana Assistida teve início na Inglaterra em 1978, quando nasceu o primeiro bebê de proveta.

A primeira FIV foi realizada pelos doutores Patrick Steptoe e Robert Edwards na Inglaterra e em 25 de julho de 1978 nasceu a primeira criança, Louise Brown, concebida pela Fertilização In Vitro.

Desde então, milhares de casais realizaram o sonho da maternidade com a ajuda e o avanço da medicina. O primeiro bebê de proveta nascido na América Latina foi brasileiro. Aconteceu em 1984, em São José dos Pinhais, no Paraná.

Como é feita a FIV?

Existem dois métodos da FIV: tradicional ou com ICSI (Injeção Intracitoplasmática).

Na FIV tradicional, os espermatozóides são colocados junto aos óvulos em um ambiente que simula as trompas e a penetração de um espermatozóide acontece de forma espontânea no óvulo, ocorrendo a fertilização.

Na FIV com ICSI, ocorre a injeção de espermatozóides dentro do óvulo, quando sabe-se que não é possível ou é mínima a chance do espermatozóide fertiliza-lo por conta própria.

Em ambos, a paciente que tiver embriões excedentes, ou seja, mais embriões do que foram transferidos ao útero, esses embriões são criopreservados, isto é, congelados à -196oC em containers com nitrogênio líquido.

FIV tradicional

O tratamento da FIV tradicional é dividido em cinco etapas: estimulação da ovulação, coleta de óvulos e espermatozóides, fertilização dos gametas em laboratório e transferência embrionária.

  1. Estimulação da ovulação

Consiste na administração de hormônios, normalmente de aplicação subcutânea, para estimular o crescimento de um maior número de folículos e consequentemente obter uma maior recuperação de óvulos para serem fertilizados.

Esta etapa se inicia no segundo ou terceiro dia do ciclo menstrual e tem duração média de 9 a 12 dias, sendo que neste período a paciente precisa realizar monitoramento do crescimento dos folículos ovarianos (que contém os óvulos) por meio do ultrassom endovaginal e eventualmente exames de sangue.

Assim que a maioria dos folículos atingirem um volume médio de 18 milímetros, uma última medicação é aplicada, o HCG, para maturação final dos óvulos e coleta dos mesmos dentro de 34 a 36 horas.

  1. Coleta de óvulos e espermatozoides

O procedimento de coleta de óvulos consiste na retirada dos óvulos do interior dos folículos ovarianos com o auxílio de uma agulha guiada por ultrassom endovaginal. 

Para o procedimento é realizado uma sedação de curta duração. O líquido aspirado é colocado em um tubo e entregue a embriologista para checagem e coleta dos óvulos.

A coleta de espermatozóides geralmente ocorre no mesmo dia da coleta de óvulos, sendo o procedimento realizado por masturbação Em casos específicos a coleta de espermatozoides pode também ser realizada através de procedimentos cirúrgicos de acordo com a indicação médica.

  1. Fertilização dos gametas em laboratório

Após 3 a 4 horas da captação dos óvulos, os gametas são submetidos a fertilização in vitro, que pode ser realizada pela técnica: Fertilização in vitro clássica (FIV clássica).

Os óvulos são incubados em meio de cultivo com cerca de 110.000 espermatozóides previamente capacitados para que estes penetrem a membrana dos óvulos espontaneamente. Esta técnica é utilizada desde 1978 e é indicada quando a causa da infertilidade não é masculina.

  1. Cultivo embrionário

Após 18 a 20 horas da incubação, é realizada a checagem da fertilização, ou seja, verificação de quantos óvulos foram fertilizados pelo espermatozóide. É possível saber se houve a fertilização pois aparecerá os 2 pronúcleos (masculino e feminino) no citoplasma do óvulo.

No dia 2 e 3 de desenvolvimento embrionário, checamos o desenvolvimento dos embriões quanto a quantidade de células e a porcentagem de fragmentação.

No dia 5, fazemos a checagem e a classificação dos embriões em estágio de blastocisto, avaliando o grau de expansão, massa celular interna (MCI) e a trofectoderma.

  1. Transferência embrionária

Após a fertilização, os embriões se desenvolvem em laboratório dentro de 3 a 5 dias. A transferência embrionária é um procedimento geralmente indolor, realizado com um cateter guiado por ultrassom abdominal, que leva o embrião para dentro da cavidade uterina (endométrio).

Após 12 dias da transferência embrionária é feito o exame de gravidez (β-hCG quantitativo) por meio da coleta e análise do sangue. Os embriões excedentes obtidos no procedimento de fertilização in vitro são congelados para sua utilização no futuro.

Centro de Medicina Reprodutiva

Para você, que procura por uma clínica de fertilização, a Fert-Embryo oferece um completo diagnóstico e acompanhamento com o Dr. Wilson Jaccoud na hora de realizar o tratamento ideal de fertilização in vitro ou inseminação artificial para o seu caso. Faça-nos uma visita e conheça nosso Centro de Medicina Reprodutiva. Realize o sonho da maternidade!

ENTRE EM CONTATO

Utilize o formulário abaixo para entrar em contato conosco, responderemos em breve

COPYRIGHT @ 2020 - Fert Embryo - Todos os direitos reservados - Desenvolvimento: Logo Luz Própria Fert Embryo